Notas de Leitura

Ondaatje, Michael, O Doente Inglês, sl., Círculo de Leitores, 1997.

Ondaatje, Michael, O Doente Inglês, sl., Círculo de Leitores, 1997.

No final da II Guerra Mundial, a Villa San Girolamo, situada algures nas montanhas a norte da cidade de Florença, acolhe duas personagens deveras singulares: Hana, uma jovem enfermeira de origem canadiana que trabalhara ao serviço do exército dos Aliados e o Doente Inglês, um doente terminal devido às profundas queimaduras que cobrem a quase totalidade do seu corpo: “um homem sem rosto, um lago de ébano. Tudo o que o poderia identificar consumido pelo fogo” [p.55]. Em torno destes dois personagens, Michael Ondaatje constrói uma narrativa absolutamente extraordinária e de uma beleza tocante, onde o leitor se confronta com a fragilidade da condição humana em momentos extremos e devastadores. Ao decidir ocupar o que restava daquela desolada Villa e zelar pelo Doente Inglês, Hana encontra a sua maneira de sarar as feridas emocionais provocadas pela guerra: “um homem queimado de quem cuidar, dois ou três lençóis para lavar numa fonte, um quarto pintado como um jardim” [p.41]. Sob os cuidados quase filiais de Hana, o Doente Inglês revive as suas memórias nos derradeiros meses antes da morte. Em repouso nesse quarto de atmosfera mágica, ele vai revelando, muito lentamente, aquilo que lhe aconteceu: fala de um oásis, fala da mulher por quem se apaixonou, fala do seu livro de recortes, fragmentos e mapas. Esse livro, uma edição de 1890 das Histórias de Heródoto, escapou milagrosamente ao fogo e foi sempre guardado pelo Doente com o maior desvelo. Esse livro é o único elemento de ligação com o passado. Sob o efeito da morfina administrada para lhe mitigar as dores, o Doente percorre os meandros mais resguardados das suas memórias. Conta-nos como descobriu o oásis perdido de Zerzura, na vasta e desconhecida região do deserto Líbio, e como se apaixonou perdidamente por uma mulher quando esta lhe leu uma certa história de Heródoto…O poder das palavras e de como elas podem desencadear as mais intensas emoções e as mais desesperadas relações. Mas, o Norte de África tornou-se um dos teatros da guerra, desmoronando a vida dos dois amantes. Depois, só restou um livro, um conjunto de memórias e um corpo de ébano, o corpo de um homem que, finalmente, pôde morrer em paz.