Notas de Leitura

Wulf, Andrea, A invenção da natureza. As aventuras de Alexander Von Humboldt, o herói esquecido da ciência, Temas e Debates, 2015.

Wulf, Andrea, A invenção da natureza. As aventuras de Alexander Von Humboldt, o herói esquecido da ciência, Temas e Debates, 2015.

Numa surpreendente e fascinante biografia, Andrea Wulf traz, de volta ao conhecimento dos nossos dias, a vida e a obra de Alexander Von Humboldt (1769-1859), o cientista que acreditou, incessantemente, num saber capaz de abranger e interrelacionar todas as civilizações e todas as ciências. Esta ideia de Humboldt foi alicerçada e estruturada a partir das suas explorações na América do Sul e na Sibéria que lhe permitiriam percecionar a terra como um «grande organismo vivo» onde tudo estava em constante ligação. A singularidade deste homem e a ousadia das suas ideias, desenvolvidas e divulgadas numa época em que as ciências se começavam a compartimentar, constituíram um desafio para Andrea Wulf que, baseando-se num meticuloso trabalho de investigação, realizou uma biografia notável e com um duplo objetivo: devolver o lugar de Humboldt no panteão da ciência, pois esteve quase esquecido nos últimos anos; e compreender por que razão pensamos, hoje, o mundo natural, nos termos em que o fazemos (p.12).

Humboldt foi um homem educado na cultura do Iluminismo. Daí o seu amor pela verdade, pela liberdade e pelo conhecimento (p.15). A formação da terra, a botânica e a zoologia, as suas áreas preferidas. Sempre com a magna questão: como compreender a natureza e todos estes fenómenos por ela produzidos? Humboldt, homem de espírito e carácter intrépido, quis ir muito além dos estudos de gabinete, isto é, quis partir para o terreno e descobrir a forma como atuavam e interagiam as forças da natureza, orgânicas e inorgânicas. As duas grandes explorações realizadas na América do Sul (da Venezuela aos Andes) e na Sibéria ( dos Urales até à cordilheira de Altai), permitiram-lhe recolher inúmeros dados e, sobretudo, introduzir a ideia da mudança climática induzida pelo homem, cuja ação devastadora nos ecossistemas tornava-se evidente nas colónias da América do Sul. Ideias inovadoras para sua época, mas hoje tão pertinentes…

A vida de Humboldt é-nos relatada de forma muito precisa, sempre com o cuidado de o inserir no contexto histórico em que viveu, explicando, através dessa articulação, a importância do biografado. A clareza dos mapas, a beleza das ilustrações e a lista anotada da bibliografia de Humboldt são, para o leitor atento, elementos de grande utilidade…O mesmo não se poderá dizer da opção editorial no posicionamento das notas, que deviam ser em pé de página e não no final do livro.